sábado, 14 de fevereiro de 2015

A Lua vai nanar






Num céu de veludo que existia

num sitio um pouco distante
uma lua rosa pequenina e luzidia
brincava tanto, muito e bastante

A lua rosa brincava com o mar
e dançava com as estrelas cadentes
saltitava a cantarolar pelo ar
sobre os montes floridos e contentes

Iluminava os namorados
a trocar beijos escondidos
sussurrava aos cansados
que dormiam descontraídos

Mas o grande irmão Sol
já no fim da noitinha
veio em passo de caracol
mandar a lua rosa para a caminha

"Não que nanah!", disse a luazinha,
já cansada e a bocejar
"Tem de ser, irmãzinha,
agora sou eu a brincar"

E juntando as nuvens bem rosadinhas
numa caminha fofa de algodão
lá deitou o Sol a maninha
com um beijinho, uma história e um xi-coração.

Sem comentários: