sábado, 2 de novembro de 2013

Caminhar







Os dias felizes fogem, num correr fugaz e colorido
Mesmo quando estou em ti, não sei se somos nós
Para onde fugiu o romance perdido?
Por onde devo procurar a nossa voz?

Quando estamos juntos, nunca me ouves...
Quando estamos juntos, nunca me salvas...
Quando estamos juntos, nunca me sentes...
Quando estamos juntos, nunca me amas...

Como conseguirei caminhar sem ti?

Estamos tão longe quando estamos perto
Estamos vivos mas o nosso amor morreu
Só queria desaparecer no seco deserto
Recordar um amor que já não é meu

Quando estamos juntos, não somos nada...
Quando estamos juntos, não somos os dois...
Quando estamos juntos, não somos madrugada...
Quando estamos juntos, não somos corações...

Como conseguirei caminhar sem ti?

De joelhos no chão frio, sem apego ao romance
Sonho com os dias que já foram nossos
Numa existência translúcida vivida em transe
Sinto um frio, desejo errante nos ossos

Caminhar sem ti...
 não...
Caminhar para ti...

Levantar-te nos meus braços, rodopiarmos no céu estrelado
Fazer de ti a minha musa, ter-te sempre ao meu lado
Escrever-te numa ode à beleza, pintar-te nua numa nuvem presa
Levar-te ao céu e cantar-te alto um poema...a ti, minha princesa...

E lembrar-te que juntos, somos mel
E lembrar-te que juntos, somos carrossel
E lembrar-te que juntos, somos romance
E lembrar-te que juntos, temos tudo ao alcance...

E caminhar contigo...

Sem comentários: