terça-feira, 30 de agosto de 2011

Miss You...

Fomos na noite um rodopio de luz
dançando na escuridão iluminada pelo desejo
éramos sombras, fugazes, longas, transparentes,
juntos reinamos na fuga à noite eterna...

Éramos noite de luar que não terminava
um eterno lusco-fusco de prazeres malditos
um jorrar de sorrisos cúmplices e sinceros
numa correria etérea pelas nossas ruas sombrias

Mas tu partiste...

Miss you...

Agora és apenas uma voz quente nos meus sonhos
que chora, que grita, que clama, que ama...
uma voz que me mata, que me afasta, que me domina...
és a voz que me enlouquece...

Agora és uma sombra que me entristece,
a luz fria que não me ilumina,
a comida que me envenena,
a saudade que me desvaira...

Miss you...



2 comentários:

von brigoi disse...

não sei se ainda te lembras de mim??'.. de mim não... das minhas palavras talvez... continuas a ser uma inspiração quando as palavras teimam em não sair do peito... obrigada

João disse...

Feliz acaso que me trouxe, até aqui... Foi um prazer ler este "Poemas sem Rima".

Abraço,

João Pedro